10 de ago de 2010

Litocosmética - Jóias para a pele

Encontrei essa matéria super interessante de uma revista Claudia de 2006. Os  litocosméticos são "parentes" da maquiagem mineral, pois também levam minerais (no caso pedras preciosas) em sua composição, por isso resolvi publicar a matéria aqui, espero que gostem. 

Cremes com pedras preciosas ou semipreciosas em pó - a litocosmética - são a nova febre nas clínicas, nos consultórios de dermatologistas e nas lojas. Eles fazem um bem danado: ajudam a combater rugas, manchas, celulite e muito mais.

Ao que tudo indica, a litocosmética veio para ficar: "A energia que emana das pedras - os raios infravermelhos - atua no líquido intercelular, facilita as trocas enzimáticas e age na circulação sanguínea. Combinada a princípios ativos, potencializa seu efeito, aumentando a vitalidade da pele", explica a dermatologista Jozian Quental, de São Paulo. As diversas propriedades terapêuticas estão relacionadas com a composição química de cada mineral. O citrino, a safira e o rubi são algumas das nossas grandes aliadas. "Sugerimos que o produto manipulado tenha, em média, de 2 a 4% de pó das pedras", diz Maria Alice Marques, diretora do laboratório Vital Especialidades, que importa e distribui os minerais. Os tratamentos em clínicas unem beleza e bem-estar, apostando na cromoterapia e no reequilíbrio dos centros energéticos. "Durante a aplicação, a pedra bruta é colocada no ponto de energia do corpo para alinhar os chacras. É a visão holística da terapia", explica Kátia Fredel, técnica de pesquisa da ProLife, que desenvolve produtos com pedras. Os resultados aparecem depois de, no mínimo, seis sessões, com intervalos semanais. Certifique-se de que você não é alérgica a algum dos componentes da fórmula.


Citrino - Conhecido como flor-do-sol, por causa da cor amarela, fornece energia para ativar o sistema linfático e a circulação sanguínea. Segundo os especialistas, acalma, alivia os sintomas da depressão e reforça a auto-estima. É uma boa opção para peles maduras, pois pode ser usado em parceria com o lipopeptídio DHEA (o "hormônio da juventude") e os fitormônios de soja, que nutrem e recuperam o viço, perdido com a menopausa. O citrino também tem ação desintoxicante. "Associada à cafeína, extratos botânicos e fosfatidilcolina, ajuda a dissolver a gordura localizada e amenizar a celulite", garante a dermatologista Claudia Marçal, de Campinas (SP).


Água-marinha - Considerada a pedra da clareza, atua como calmante - a cor azul transmite a sensação de bem-estar, reduzindo o stress. "A água-marinha é indicada para peles desvitalizadas, ressecadas e para tratamento pós-sol. Como ativa a circulação, também é excelente para descongestionar a região dos olhos e suavizar olheiras", diz o dermatologista Marcelo Bellini, de São Paulo. Costuma ser utilizada com cremes clareadores que contêm vitamina C.


Ametista - Os gregos acreditavam que essa pedra violeta protegia contra a embriaguez e os maus pensamentos, transformando-os em crenças positivas. A ametista é muito usada para meditação. Já na área estética, sua energia acelera a produção de colágeno e elastina, renova a pele e favorece a cicatrização. Pode ser associada a princípios ativos suavizantes, como o Algosium C e o Calmosensine.

Safira - Na antiguidade, dizia-se que essa pedra azul, que tem efeito calmante e alivia dores, proporcionava a união da humanidade com os céus. Incorporada a produtos para o rosto com vitaminas A,B e c, potencializa o efeito antioxidante. "Em cosméticos para o corpo, a pedra aumenta a elasticidade da pele, promovendo uma hidratação profunda. Ajuda a prevenir estrias e pode ser aplicada inclusive em gestantes", diz a dermatologista Ana Maria Albuquerque, de São Paulo.

Rubi - O mineral mais duro depois do diamante tem o poder de aumentar a flexibilidade e vitalidade da pele. Acoplado ao laser para o combate de manchas, potencializa o seu efeito. Já o pó de rubi vem sendo utilizado em um poderoso peeling clareador para reforçar a assimilação dos princípios ativos despigmentantes, como os derivados do resorcinol e da hidroquinona. "Esse tipo de peeling só deve ser feito por profissionais especializados, pois contém na fórmula ácido lático, mandélico, azelaico e ascórbico em concentrações altas", alerta Kátia Fredel.

Esmeralda - Simboliza a cura e é conhecida como pedra da sabedoria. Aliada à vitamina K1 e a um complexo vegetal, age como antiinflamatório e anti-séptico, aliviando o rubor e a irritação causados por acne, rosácea e vasinhos aparentes. Associada a substâncias reparadoras como o Hydroxyprolisilane e o Neuroxyl, a esmeralda auxilia nos tratamentos pós-peeling e pós-cirúrgicos.

Turmalina Branca - Rica ema alumínio, ferro, sódio e magnésio, essa pedra é energizante, estimulante, rejuvenescedora. "Pode ser incorporada a máscara e cremes como ingredientes tensores, como o DMAE, Tensine ou Densiskin", afirma Marcelo Bellini. Combinada com o neurocosmético Endorphin, proporciona uma sensação agradável.

Já falamos sobre a Turmalina aqui, no blog... Para ler mais sobre o assunto clique aqui.


Rodolite e Rodocrosita - Composta especialmente de manganês, as duas pedras são chamadas de rosa inca - acreditava-se que eram o sangue petrificado de antigos regentes incas. Com efeito calmante, elas proporcionam um bom sono. Na área da cosmética, enriquecem máscaras capilares (aliadas a agentes hidratantes e emolientes) e até máscaras faciais com efeitos repousantes.

Diamante - Símbolo de pureza, é composto de um único elemento químico, o carbono. Tem ação revigorante e funciona às mil maravilhas em máscaras que recuperam peles cansadas em sem viço, dando brilho e luminosidade. "Também é recomendado para suavizar linhas finas de expressão na testa, na área dos olhos e na boca. Nesse caso, é misturado ao ácido salicílico em baixas concentrações, argiline e minerais", revela a médica Ana Maria Albuquerque.


EXTRAÍDO DO BLOG DA MINHA AMIGA - ÍTALA
http://maquiagemmineral.blogspot.com/

***************************


Recomendadíssimo
Bjs

Dicas do especialista para não errar na hora de comprar um tênis

Olá, este post é para quem está na época de comprar o uniforme escolar ou mesmo de trocar o tênis que já está pedindo água.

Visto por muitos apenas como um simples acessório, o tênis, é item fundamental para os praticantes de atividades físicas, sejam os de finais de semana, habitués de academia ou os atletas profissionais. Diante das várias marcas e tecnologias presentes no mercado a escolha do tênis pode se tornar um pouco difícil, mas alguns pontos devem ser atentamente analisados para que as atividades sejam feitas com segurança, sem o perigo de lesões. 

O ortopedista Marcelo Acherboim, especializado em traumatologia do esporte diz que nem sempre o tênis mais bonito é o melhor. A primeira coisa a se analisar em um tênis, para a prática de exercícios, é a capacidade de impacto com o solo. Quanto mais amortecer o impacto, melhor para evitar as lesões como as de tornozelo, calcanhar, joelho e quadril mais comuns pelo impacto.

Outros itens como estabilidade, flexibilidade e conforto também devem ser analisados. É importante que, ao se adquirir um tênis, se invista em qualidade para que não se gaste mais cuidando das lesões depois. O uso de tecnologias avançadas podem encarecer os tênis, mas os deixam mais aptos para a prática de atividades físicas. Também não quer dizer que o mais caro seja o melhor. 

Cada pessoa tem um tipo de pisada, sendo assim, o tecnologicamente mais avançado pode não ser o melhor para quem pisa de certa maneira, mas ideal para outro.
Extraído: http://inblogs.com.br/amelias/

***************************


AMEI estas dicas e lá no blog das Amélias...haha, tem mais.
Façam uma visitinha é lindoooooooo.
Beijinhos e tenham uma linda semana, apesar do friozinho.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...